sexta-feira, 22 de setembro de 2017

OUTONO...RENDAS DO SILÊNCIO.




(...)


Outono dos crepúsculos doirados,
De púrpuras, damascos e brocados!
Vestes a terra inteira de esplendor!






Outono das tardinhas silenciosas,
Das magníficas noites voluptuosas
Em que eu soluço a delirar de amor…


(Florbela Espanca)


**********************************************************

****************************

quinta-feira, 21 de setembro de 2017

JÁ Fui Feliz Aqui [ XXXVI ]





Serpa - Praça da República

A primeira e terceira fotografias foram tiradas por mim, aquando da minha visita à cidade, em Maio deste ano.

A segunda saquei-a DAQUI


As palmeiras (doentes) foram substituídas por novas árvores e o trânsito em direcção à Torre do Relógio, foi cortado.
Hoje, há bancos corridos e mesas de madeira onde antes estavam as palmeiras, no lado oposto ao lendário
 Café e Restaurante 
"O Alentejano", cuja esplanada se vê na foto do meio.

Esta última, foi tirada de manhã muito cedo, enquanto esperávamos que a proprietária da loja dos doces viesse, de Brinches, abrir as portas. Recortei-a porque a minha mana poderia não gostar de vir parar à 'internet'!! :)) 

Já andamos a planear nova visita na Páscoa de 2018, altura em que se realizam as afamadas Festas de Serpa e se celebra a Padroeira: Nossa Senhora de Guadalupe.

#########################################

terça-feira, 19 de setembro de 2017

SERPA - E A LENDA DA SERPENTE ALADA.





Com a Catarina a dar o pontapé de saída com a sua bonita Lenda do Girassol, logo se lhe seguiu a Papoila e a interessante Lenda da Praia do Guincho. Dando seguimento ao certame temos a Deusa Afrodite que, nos seus Jardins, nos conta a Lenda da Moira Encantada de Giela.

Esta que vos vou contar, como não poderia deixar de ser, será contada num poema e é uma Lenda que nos diz da origem do nome da minha terra. 


A lenda conta, que, há anos,
Já esquecidos dos antigos,
Por cá só havia perigos,
Só havia desenganos,
Guerras, solidão e danos...

Foi então, que uma fada
Deu ao rio uma aliada,
Que a região defendia.
De Ana era rainha
A SERPE - SERPENTE ALADA

Mas ainda há outra lenda,
Deste rio que era o Ana,
Para os mouros Odiana...

Uma fidalga era presa
Duma magia tremenda...
Numa cobra transformada,
Numa figueira acoitada.

Gritava p’lo desencanto
E o seu pranto era o canto
Talvez de Ana, a encantada.

Mais tarde, fugindo à guerra
Que Rolarte lhe movera...
Orosiano morrera...
E Cófilas se desterra

Construindo nesta terra,
Que achou de rara beleza,
Para a filha a fortaleza
Onde seu noivo chorou
E novo amor encontrou.

Serpínia, a bela princesa.
Não se sabe bem à certa
Qual a profunda razão
Da Serpe que é no Brasão
Da nobre vila de Serpa.


Nas lendas a descoberta:
Da Serpe do Ana, a ardileza;
De Serpínia tem a alteza;
Ou da fidalga encantada
que em Cobra foi transformada
Tem SERPA o nome, a Beleza!


Fonte da Lenda                                                   Fonte das imagens

Não deixem de clicar nos links, porque sei que  vão gostar .

Seria interessante se esta corrente de Lendas e Mitos tivesse continuidade. Quem se seguirá? Todos gostamos de Lendas, não podemos parar por aqui. Ficamos a aguardar a próxima.

-------------------------------------------------------------------------------
Adenda:   AQUI   neste espaço criado pela Afrodite, poderão encontrar todas as Lendas já publicadas, e as que se lhes seguirão.


*********************************

segunda-feira, 18 de setembro de 2017

Da Felicidade Com a Ventura Alheia.


“Entre tanta miséria e tantas coisas vis

Deste vil grão de areia

Ainda tenho o condão de me sentir feliz

Com a ventura alheia.”


(…)




A que propósito vem esta estrofe, transcrita do livro que a imagem mostra?
Eu explico, num resumo mui resumido:
Após uma longa conversa telefónica com uma familiar, e ainda na sequência de outra longa conversa, pessoal, versando o mesmo tema que mantivemos no sábado enquanto degustávamos um saboroso estufado de língua de vitela, tive o prazer de constatar da alegria, inopinada, e tão gratificante, por ver a sua solidão de mulher só a quem a vida madrasta fez perder dois maridos que a fizeram tão feliz, o último há pouco mais de um ano, logo agora que tanto necessitava de um pouco mais de cor que lhe colorisse o cinzento dos seus dias...Sim, apesar da universidade sénior, dos quatro filhos, dos seis netos, das duas bisnetas e da missa dominical,  fica sempre tempo por preencher.
Pois bem, essa vida madrasta, por obra do acaso, ou talvez nem tanto, colocou ao seu ouvido a voz de um namorado que não via nem ouvia há cerca de sessenta anos. 
Ah, agora sim...o reviver das velhas emoções do primeiro amor, fazem bater mais forte aquele seu velho coração. E chora e ri, qual adolescente, enamorada pela lembrança de um jovem que, actualmente, ronda ou ultrapassa os oitentas, mas que ela ainda não viu a imagem e teme ver. Apenas porque também ela se vê com dezasseis anos.
E eu, que conhecia a história antiga, digo que sim, dou o meu aval, fico feliz com esta ventura de alguém que não me é tão alheio quanto isso.
Não há dúvida que, enquanto houver vida, tudo pode acontecer!
Aos outros... Vida madrasta!!! 

-----------------------------------------------------------------




sábado, 16 de setembro de 2017

DA TRANQUILIDADE.






No silêncio tranquilo

De quem vive vida simples;

-Ou de quem assim o quis-



Quero ir bordando meu sonho

Em ponto de fantasia

Pleno de Amor e de Luz…





DESEJO UM FELIZ FIM-DE -SEMANA

A  TODOS QUANTOS VISITAM

ESTE CANTINHO.


---------------------------------------------------------------


sexta-feira, 15 de setembro de 2017

Não sei o que publicar...






...tive um dia infernal, sinto-me vazia de ideias...vai daí, pensei, pensei...e só me ocorreu deixar-vos com esta Adivinha-Piada (seca),  sequíssima, espremida não vai dar nada. Sintam-se à vontade para nada comentar...
Porém, se quiserem aventar algo que vos pareça ser esta coisa, nem precisam enviar para o e-mail, podem escrever aqui mesmo...
...enquanto o pau vai e vem...alguém pode acertar!! Cá vai:

O que é que tem duas patas e não anda, tem bico e não debica e tem asas mas não voa?

Não vos desejo ainda bom fim-de-semana pois pode acontecer que, entrementes, me ocorra algo de jeito.

Obrigada a Todos!

***********************************************

quarta-feira, 13 de setembro de 2017

O Snoopy é Que Sabe...

...como se derretem corações!!

                                      Também fazem assim?






























Nunca devemos esquecer que um carinho, inesperado, desfaz azedumes e derrete blocos de gelo. Eu tenho tendência a esquecer...e vocês?


:)    :)    :)